terça-feira, 17 de agosto de 2021

Weverton Rocha subestima força e liderança do Governador Flávio Dino


O lançamento da pré-candidatura do senador Weverton Rocha ao Governo do Estado, com tom acima do que era previsível, além de confirmar que seu projeto político para 2022 não tem recuo, mostrou arrogância e menosprezo à força política e liderança do governador Flávio Dino, principal responsável pela sua eleição em 2018.

O discurso foi interpretado por quem acompanha a pré-campanha como um recado nada amistoso ao chefe do Executivo estadual e pré-anúncio de um rompimento caso não seja ele o escolhido para representar o grupo que se reuniu em 5 de julho e resolveu entregar ao governador a missão de construir a unidade.

Weverton praticamente comunicou ao governador, ao público presente e a quem acompanhou o ato pelas redes sociais, que não pretende cumprir o pacto assinado por ele, dirigentes partidos, parlamentares e lideranças que apoiam o governo no ato realizado no Palácio dos Leões se não for o indicado.

“Gosto muito do Flávio Dino, é meu amigo, ele tem o reconhecimento de todos nós pelo trabalho que ele fez no Maranhão. Só que eu quero ser candidato de baixo para cima. Eu quero o apoio dele, mas na verdade quem vai me apoiar e me eleger é o povo do Maranhão”, disse para a plateia de políticos.

O senador pedetista já havia sugerido que não pretende recuar da candidatura quando foi perguntado sobre a possibilidade de desistir e responder de forma jocosa: “Vocês já viram foguete dando marcha ré? Então vamos para frente, que o Maranhão tem pressa e quer ser feliz”.

Na nota dos partidos divulgada no início de julho, além de firmar o compromisso de dar continuidade as ações do governo, diz que o “Pacto pela União se baseia no compromisso com a pré-candidatura ao Senado do governador Flávio Dino, na busca de entendimento quanto a governador e vice, sempre com base no diálogo com os partidos e líderes, e na construção de chapas vitoriosas para a Câmara e Assembleia”.

A postura do senador do PDT, de confirmar que seu projeto para 2022 não tem retorno, porém, faz coro à afirmativa do presidente nacional do partido, Carlos Lupi que, em entrevista à TV Meio Norte, disse que ele será candidato com ou sem o apoio do governador.

Para deixar claro que não pretende cumprir o pacto que assinou, em entrevista à TV Mirante na sexta-feira (13), véspera do ato em Imperatriz, Weverton disse que o fato de Dino esta sentado na cadeira de governador não daria a ele o direito de indicar o candidato.

O governador, com uma popularidade que chega 70%, considerado a maior liderança política do estado e com potencial para influenciar muito na eleição do seu sucessor, no entanto, mantem a agenda de trabalho e entrega da obras em todas as regiões do Maranhão. Sabe o momento certo de entrar em cena.

Via Jorge Vieira

0 comentários:

Postar um comentário

CUIDE DO SEU SORRISO

CUIDE DO SEU SORRISO

Internet de Qualidade