terça-feira, 30 de março de 2021


Cobrar coerência do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), é como chover no molhado, mas nunca é demais lembrar que o comunista criticava os empréstimos feitos por outros governadores maranhenses, mas desde que chegou ao Palácio dos Leões tem usado e abusado dessa iniciativa.

Na semana passada, mais uma vez, Flávio Dino encaminhou mensagem à Assembleia Legislativa, um projeto de lei pedindo autorização para a contratação de um empréstimo de até R$ 180 milhões com o Banco de Brasília (BRB). O novo empréstimo teria como objetivo o programa “Maranhão Forte”.

“O Programa Maranhão Forte tem como objetivo o fortalecimento da infraestrutura estadual de transportes visando melhorias logísticas, incentivo ao turismo e geração de empregos. Para tanto, é constituído por ações de restauração, pavimentação e construção de rodovias e de ponte”, diz trecho da mensagem enviada ao parlamento maranhense.

No entanto, o deputado estadual Yglesio Moyses, de maneira acertada, pediu vistas do projeto e já solicitou mais informações sobre mais um empréstimo do Governo Flávio Dino.

“Pedimos vista e enviamos um requerimento de informações para saber a carência desse empréstimo, em quanto tempo de fato esse empréstimo será pago, quando é que o Maranhão vai começar a pagar, algumas informações sobre obras e serviços públicos que vão ser executados”, afirmou Yglesio.

O deputado ainda fez questão de lembrar a situação da obra do Araçagi e que a continua solicitação de empréstimos é uma demonstração que a gestão financeira não está sendo bem feita.

“Por exemplo a obra do Araçagi, em que já foram empregados cerca de 56 milhões de reais e, até o momento, a obra continua com falhas. Mal inauguraram a obra e já estão fazendo reparo da obra. É um empréstimo pequeno, mas a gente tem que ver se a gente já começou a financiar infraestrutura rudimentar, quer dizer, manutenção e via pública, por exemplo, com dinheiro de empréstimo. Aí, de fato, seria uma sinalização até para a sociedade em que há um colapso econômico, de fato, no Estado e é sinal de que a gente não está fazendo uma boa gestão financeira”, finalizou.

O pedido de vista foi feito ainda na Comissão de Constituição de Justiça, mas ainda precisará passar pelo Plenário da Assembleia Legislativa.

É aguardar e conferir se o Governo Flávio Dino se dará ao trabalho de responder os justos questionamentos do deputado ou, como de costume, fará valer a sua maioria no parlamento estadual.

0 comentários:

Postar um comentário