quinta-feira, 29 de julho de 2021

Após prisão, PM que matou médico diz que disparo foi acidental

O policial militar Adonias Sadda, preso na terça-feira, 27, sob acusação de matar o médico Bruno Calaça, na madrugada de segunda-feira, 26, numa boate em Imperatriz, declarou em depoimento ao delegado Praxísteles Martins que disparou acidentalmente sua arma.

O tiro disparado pelo PM atingiu a vítima na altura do peito, e ela morreu no local

Durante a oitiva, Sadda confirmou que antes do assassinato já havia ocorrido um desentendimento entre o médico e um de seus amigos.

Segundo testemunhas, essa primeira confusão teria sido resolvida pelo proprietário do estabelecimento.

Adonias Sadda segue preso, enquanto a Polícia Civil conclui inquérito.

0 comentários:

Postar um comentário

CUIDE DO SEU SORRISO

CUIDE DO SEU SORRISO

Internet de Qualidade