sexta-feira, 19 de março de 2021

Senador do PDT se ofereceu ao presidente da República e chegou a pensar se filiar ao DEM para ser opção da direita na disputa pelo Palácio dos Leões, sede do Governo Estadual



Após defender saída de Bolsonaro como único caminho para normalidade, Weverton quer dar palanque para presidente

O senador Weverton Rocha (foto), que pretende disputar o Governo do Maranhão, trabalha em Brasília para dar palanque a Bolsonaro no Maranhão, em 2022. Meses atrás, Weverton chamou o colega de plenário Roberto Rocha (PSDB) e pediu para articular uma aproximação com o presidente da República sugerindo, inclusive, que levasse ao chefe da Nação a sugestão para que pudesse ser opção da direita na disputa pelo Palácio dos Leões.

“Se ele topar, eu deixo o PDT e posso me filiar ao DEM para dar palanque a ele no estado. Para me eleger governador, topo qualquer coisa”, afirmou Weverton, segundo uma fonte do blog que presenciou a conversa que contou com participação do deputado federal Juscelino Filho.

Bom em passar recado, Roberto teve a reunião com Bolsonaro no Palácio do Planalto e apresentou a proposta, mas acabou não sendo aceita pelo presidente da República que negou de pronto. “Deus me livre! De jeito nenhum! Isso é coisa do ‘calça curta’ querendo me desmoralizar”, disse Bolsonaro se referendo a Flávio Dino.

Weverton pediu a Rocha para trabalhar uma aproximação com Bolsonaro



Apesar da negativa, Weverton não desistiu do seu plano. Essa semana, ele se aproximou do presidente nacional do Republicanos, Marcos Pereira. Durante um encontro, o senador maranhense vendeu a possibilidade real de se eleger governador, mostrou pesquisas e afirmou que precisava da força de uma máquina para chegar mais forte em 2022.

No primeiro momento, o comando nacional do Republicanos falou que Weverton precisava demonstrar algum gesto que estava disposto a romper com governador Flávio Dino, adversário de Bolsonaro. Foi então que Weverton sugeriu a ida do deputado federal Gil Cutrim ao antigo partido do vice-governador Carlos Brandão, provável adversário do senador em 2022.

A filiação de Cutrim à sigla de Flávio Bolsonaro, portanto, é um indicativo que Weverton quer mesmo dar palanque a Bolsonaro no Maranhão na disputa do ano que vem. É aguardar!

Via Antonio Martins

0 comentários:

Postar um comentário