terça-feira, 16 de junho de 2020


Não foi apenas um calote que os estados do Nordeste, reunidos em consórcio, tomaram ao tentar comprar respiradores no exterior. Foram dois.

Na semana passada, o deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) revelou que, além do pagamento de R$ 4,9 milhões por 30 respiradores – que deveriam ser entregues pela HempCare Pharma, mas nunca chegaram da China (saiba mais) -, o Governo do Maranhão pagou mais R$ 4,3 milhões por equipamentos de ventilação, novamente via Consórcio Nordeste.

O Blog do Gilberto Léda consultou, então, o governo maranhense, para saber do que se tratava esse segundo aporte.

E a informação oficial é de que houve novo calote. Desta vez, a empresa contatada deveria trazer os respiradores da Europa.

Em nota (veja abaixo), a Seplan garante que, pelo menos desta vez, o Consórcio Nordeste já devolveu os recursos e que o colegiado de governadores acionará a Justiça cobrando multa do fornecedor por quebra de contrato.

“A Secretaria de Estado de Planejamento e Orçamento (Seplan) esclarece que Estado da Bahia, representando o Consórcio Nordeste, comprou respiradores na Europa. A empresa contratada não efetuou a entrega dos respiradores no prazo determinado no contrato, alegando que o fabricante situado na Alemanha estava com indisponibilidade. O Consórcio efetuou a devolução dos valores aos Estados, inclusive ao Maranhão. O consórcio Nordeste e os Estados entrarão na Justiça cobrando multa contratual e demais sanções cabíveis contra a empresa fornecedora”

Via Gilberto Leda

0 comentários:

Postar um comentário