quinta-feira, 18 de junho de 2020


O jovem Ayrton Pestana, preso desde terça (16) acusado de assassinar o publicitário Diogo Campos, será posto em liberdade ainda nesta quinta-feira (18).

Um laudo do Instituto de Criminalística (Icrim) confirmou que o carro do pai dele, um Argo vermelho, não foi o mesmo utilizado no crime. A informação é do delegado George Marques, em entrevista à Rádio Mirante AM.

O carro do suspeito não saiu da Avenida Venceslau Brás durante toda a manhã do crime. No local, funciona uma oficina, onde Ayrton passou a manhã trabalhando com o pai, Vanderley Pestana.

A polícia, agora, trabalha com a hipótese que já vinha sendo sustentada pela família de Ayrton desde o dia do crime: a clonagem da placa do veículo.

Na manhã de ontem (17), no Programa Acorda Maranhão, da Mirante AM, o jornalista Marcial Lima relembrou que, na edição de terça-feira (16), antes do crime, chegou a noticiar um caso de roubo de um Fiat Argo vermelho.

“Ontem, no nosso programa aqui, nós recebemos uma mensagem de uma pessoa, nós até botamos no ar, dizendo que tinham roubado um veículo Argo vermelho, ali na descida do Barramar, alido Barramar/Litorânea. PTQ-4170, viu? Foi a placa que passaram aqui”, relatou.

Segundo o delegado George Marques, o dono desse veículo, motorista de aplicativo, já foi ouvido, e confirmou que foi vítima de assalto no fim de semana.

Do Gilberto Leda

0 comentários:

Postar um comentário