quinta-feira, 18 de junho de 2020
Argo vermelho, placa PTJ-2844 estava estacionado no horário do crime
Blog do Gilberto Léda conseguiu com a família de Ayrton Pestana – acusado pela polícia de ser o principal suspeito da morte do publicitário Diogo Campos, na terça-feira (16) – uma série de vídeos que comprovariam o principal álibi do jovem.
Em depoimento, o suspeito afirmou que, no momento do crime, estaria trabalhando com o pai, numa oficina de veículos (reveja).
As imagens obtidas com exclusividade mostram que, durante a manhã do assassinato, inclusive na hora do crime, um Argo vermelho de placa PTJ-2844 – a mesma apontada pela polícia como sendo a do carro de quem atirou contra Diogo – esteve o tempo inteiro estacionado na Avenida Venceslau Brás. No local, ainda segundo o depoimento de Pestana, funciona a oficina do pai.
Os vídeos enviados pela família começam às 10h55. Naquela hora, já havia um Argo vermelho estacionado na via (parte esquerda da imagem).
Na sequência de vídeos é possível perceber que o mesmo veículo permanece no mesmo local até as 12h12, quando sai com duas pessoas, entra no posto de combustível à frente e abastece. Eram Ayrton Pestana e o pai, Vanderley Pestana, no seu interior, novamente segundo a família.
A hora do crime
Há ainda um registro específico feito às 11h21. O carro segue no mesmo local em que esteve desde as 10h55.
Esse recorte foi feito como forma de comprovar o álibi, já que, de acordo com câmeras de segurança do condomínio onde morava Diogo Campos, ele saiu do prédio às 11h19, momento em que quase colide com um Argo vermelho, segue-se a discussão e, então, sua morte.



Argo vermelho, placa PTJ-2844, na rua do crime

Todas essas imagens foram incluídas pela defesa de Ayrton Pestana num pedido de habeas corpus apresentado ainda ontem (17) à Justiça. Preso preventivamente como principal suspeito do crime, ele foi encaminhado a Pedrinhas.
Do Gilberto Leda

0 comentários:

Postar um comentário