segunda-feira, 15 de junho de 2020

Segundo o FDA, órgão responsável pela regulamentação de medicamentos no país, o remédio "não parece ser efetivo" contra a doença


O FDA, órgão equivalente à Anvisa nos Estados Unidos, decidiu cancelar, nesta segunda-feira (15/06), a autorização para o uso de cloroquina e hidroxicloroquina contra o coronavírus. A permissão tinha sido dada de forma emergencial no começo da pandemia a partir de um pedido de urgência feito pelo presidente Donald Trump.

Depois de rever estudos internacionais sobre o uso dos medicamentos, a decisão da agência foi de revogar a autorização. Segundo o documento divulgado pelo FDA, o uso do remédio “não parece produzir nenhum efeito antiviral” e “não mostrou benefícios na mortalidade, diminuição de tempo de internação ou necessidade de ventilação mecânica em pacientes com Covid-19”.

O FDA afirma que não é “razoável” acreditar que os benefícios do medicamento são mais importantes do que os potenciais efeitos colaterais. Por isso, a partir de hoje, a hidroxicloroquina e a cloroquina não serão mais autorizadas para o uso contra a Covid-19.




Enquanto isso, a OMS faz um estudo com cerca de 3.500 pessoas usando a cloroquina. A pesquisa chegou a ser pausada depois da publicação de um estudo com 96 mil pacientes que encontrou risco aumentado de morte entre os pacientes. Porém, depois de problemas com o banco de dados, o levantamento foi despublicado e a OMS voltou atrás.

A cloroquina é um dos assuntos mais polêmicos desde o início da pandemia do coronavírusSamir Jana/Hindustan Times/Getty Images

 Via Metropolis

0 comentários:

Postar um comentário