domingo, 5 de janeiro de 2020

Segundo a menor, que tem apenas 13 anos de idade, o envolvido queria manter relações sexuais com a mesma


Um homem que manteve refém a própria afilhada, de 13 anos, na tentativa de manter relação sexual com a mesma, foi preso, na tarde deste sábado (04), por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) da Unidade Operacional de Porto Franco.

Após recebimento da denúncia, a equipes se deslocou até o km 568 da BR-226, momento em que abordou o veículo do acusado, uma picape Fiat/Strada Adventure, de cor vermelha, e o prendeu.

Conforme apurado pela PRF, o envolvido teria prometido um celular à menor e a chamou para ir comprá-lo em São João do Paraíso, mas, ao invés disso, dirigiu-se rumo à cidade de Porto Franco, mesmo contra a vontade da menor. Nesse percurso, ele teria tocado as partes íntimas da adolescente e prometeu a ela dinheiro, caso ela tivesse relações sexuais com ele. 

Em seguida ele se dirigiu para a BR-226, onde, nas proximidades do km 568, a menor conseguiu descer da picape e pedir ajuda para um rapaz que passava em uma motocicleta. Ele a levou até a Unidade Operacional da PRF em Porto Franco.

A vítima declarou que o acusado é seu padrinho e que este lhe prometeu um celular de presente e a chamou para ir comprar o aparelho. Ao perceber que ele estava indo no sentido Porto Franco, ela pediu para o padrinho voltar, mas ele respondeu que não voltaria. Ela insistiu várias vezes para o acusado parar, mas ele não a ouviu.

A adolescente acrescentou, ainda, que durante o percurso, por diversas vezes, ele tocou as partes íntimas dela. Ela tirava a mão dele, mas ele insistia. O padrinho, então, a levou para a beira rio Tocantins, em Porto Franco, e a chamou para banhar, mas ela não quis. Em seguida, ele a levou no sentido Grajaú, pela BR-226, onde a adolescente conseguiu desligar o carro e descer para pedir ajuda.

O acusado foi localizado por volta das 16h20 em uma estrada vicinal próximo à BR-226, km 568, onde lhe foi dada voz de prisão.

Em seguida, ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil em Estreito, junto com o veículo usado na ação criminosa.

Diante das informações obtidas, foi constatada, a princípio, ocorrência de estupro de vulnerável. O crime está previsto no art. 217-A do Código Penal (ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos). Pena – reclusão, de 8 a 15 anos.

A menor ficou sob responsabilidade do Conselho Tutelar de Porto Franco.

Fonte: Blog Fuxico do Sertão / Com Informações da PRF

0 comentários:

Postar um comentário

Facebook

Rádio do seu Coração

Quer a melhor internet?

Quer a melhor internet?
Entre em contato agora mesmo.