quinta-feira, 30 de janeiro de 2020


A maranhense Indira Mara Santos, de 34 anos, tentou sair imediatamente de Wuhan, epicentro do surto do coronavírus na China, quando soube que a cidade seria fechada para conter a expansão da doença para outras partes do território chinês e do mundo.

Estudante de doutorado da Universidade de Huazhong, ela deixou seu quarto no campus universitário às pressas para tentar chegar ao aeroporto, rumo a Xangai.

“Mas quando cheguei ao metrô, já estava fechado”, conta a acadêmica, que estuda economia.

Indira ainda tentou parar alguns poucos táxis que circulavam pelas ruas, porém, os motoristas se negavam a transportar qualquer passageiro.

“Bateu um momento de pânico e pensei imediatamente nos meus pais”, relata em entrevista telefônica à BBC News Brasil.

Logo que percebeu o agravamento da crise, Indira comprou uma passagem de volta para casa. Seus planos eram viajar de Wuhan a Xangai e de lá embarcar rumo ao Brasil para tranquilizar a família que mora no Maranhão. Mas não houve tempo: “Meus pais ficaram arrasados e eu, mais ainda”.

Com informações da BBC News Brasil

0 comentários:

Postar um comentário