terça-feira, 5 de novembro de 2019

A Justiça manteve a prisão da babá Gilvanny Raquel Silva de Oliveira, presa em flagrante por policiais militares, sob suspeita de ter tentando contra a vida de duas crianças de cinco anos, que estavam sob seus cuidados, ministrando substância conhecida como Clonazepan, o que culminou com a internação das menores, em estado grave, em unidade hospitalar de São Luís.

Na audiência, na manhã desta terça-feira (05), na Central de Inquéritos e Custódia de São Luís, no Fórum Des. Sarney Costa (Calhau), o juiz Flávio Roberto Soares, após manifestação do Ministério Público, converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva, como garantia da ordem pública. O magistrado negou o pedido de prisão domiciliar, apresentado pela da defesa e determinou o encaminhamento de Gilvanny Raquel Silva para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Participaram da audiência de custódia o promotor de Justiça Orfileno Bezerra Neto e o advogado Diego Menezes Miranda (defesa).

0 comentários:

Postar um comentário

Facebook

Rádio do seu Coração