terça-feira, 8 de outubro de 2019


No último dia (30) o prefeito Zezildo Almeida e o gestor da Saúde Regional Pinheiro, Janderson Gusmão, efetuaram a entrega dos cartões do Cheque Cesta Básica – Gestante, na cidade de Santa Helena.

No Programa “Cheque Cesta Básica – Gestante”, a execução é voltada para incentivar a procura por assistência pré-natal por gestantes de baixa renda, assim como melhorar a segurança alimentar. Os cartões são repassados para os municípios correspondentes para que suas respectivas secretarias de saúde efetuem a entrega para as grávidas aptas do programa.


Para o Gestor de Saúde da Regional Pinheiro, Regionais de Saúde, Janderson Gusmão, o Programa Cheque Cesta Básica – Gestante, com foco na redução da mortalidade materna e infantil, é um objetivo prioritário da gestão Flávio Dino. “A iniciativa contempla mulheres de baixa renda, além de ajudar na compra de alimentos, trazendo alívio nos gastos, e servindo também de incentivo para realização das consultas do pré-natal”, pontuou.

“Se a gestante faz o pré-natal, e comparece a todas as consultas, ela pode saber como está o seu bebê e ter ciência, caso seja observada alguma alteração. Tudo isso fortalecerá as ações de redução da mortalidade materna e infantil. É preciso compreender que não se trata apenas de uma questão de saúde, mas também das condições socioeconômicas da mãe”, disse o prefeito Zezildo Almeida.

A cidade de Santa Helena foi contemplada com 14 cheques gestante.

Cheque Gestante 

Com o decreto assinado pelo governador Flávio Dino no ato de posse, o Cheque Cesta Básica – Gestante será pago diretamente à gestante em até nove parcelas de R$ 100 e deverá ser utilizado, exclusivamente, na aquisição de alimentos. A iniciativa beneficia gestantes de até 12 semanas, inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), do Governo Federal. A estimativa é que até 20 mil grávidas tenham direito a receber o benefício.

O recebimento das parcelas está vinculado ao acompanhamento do pré-natal, puerpério e puericultura, conforme normas do programa: realizar uma consulta de pré-natal, obrigatoriamente, no primeiro trimestre e até a 12ª semana da gestação; cinco consultas de pré-natal, preferencialmente, duas no segundo e três no terceiro trimestre da gestação; duas consultas de puerpério e puericultura, sendo a primeira até sete dias e a segunda de 30 a 42 dias após o nascimento.

Via Vandoval Rodrigues

0 comentários:

Postar um comentário

Facebook

Rádio do seu Coração