domingo, 4 de março de 2018

Coronel Reinaldo Francalanci


Em nota assinada por quatro advogados, o coronel Reinaldo Francalanci, que está preso no Quartel do Comando Geral da PM, lamenta não ter tido a oportunidade de apresentar esclarecimentos à imprensa sobre a acusação de suposto envolvimento com a quadrilha de contrabandistas. Ele diz ter sido tolhido. 

“Observei, ao meu modo, salvo melhor ângulo de visão a imparcialidade de em Especial, dos dignos jornalistas Maranhenses, que ficaram na vontade de falar com este oficial, me ouvir simplesmente, saber qual a minha versão para os fatos, a motivação de tudo, desejavam apenas simples informações, fui tolhido”, disse.

Na nota, os advogados dizem que o coronel Francalanci está convicto de que não cometeu nenhum crime ao longo de sua vida e que aguarda, com serenidade, o desfecho do caso na Justiça.


“O coronel Francalanci está convicto que não cometeu qualquer crime durante toda sua vida e não seria agora, beirando seus 30 anos de serviços ao Estado do Maranhão, que o faria. Espera de sua prisão no QCG da PMMA com absoluta serenidade o destino que a Justiça vai dar ao mesmo”, ressaltam os advogados.


Confira a íntegra da nota


NOTA À IMPRENSA


“O fim do direito é a paz e o meio para atingi-lo é a luta” - A LUTA PELO DIREITO, de Rudolfo Von Ihering.


“Cara Sociedade Maranhense,


Cara Imprensa Imparcial Maranhense, admiro em meu “caso” Vossências...


Assisti, da minha prisão “Sala de Estado Maior” no Quartel do Comando Geral da PMMA, a cada matéria televisiva, em quase todos os canais de TV local e Nacional e observei, ao meu modo, salvo melhor ângulo de visão a imparcialidade de em Especial, dos dignos jornalistas Maranhenses, que ficaram na vontade de falar com este oficial, me ouvir simplesmente, saber qual a minha versão para os fatos, a motivação de tudo, desejavam apenas simples informações, fui tolhido...” Cel. QOPMMA FRANCALANCI.


NOTA DE ESCLARECIMENTO DA DEFESA


A Defesa do Cel. QOPMMA Reinaldo Elias FRANCALANCI, após análise minuciosa de diversas publicações em mídias eletrônicas, na sua grande maioria distorcidas da realidade dos fatos envolvendo sua prisão, seja por erros seja por falta de informações ou fontes inidôneas, vem a público repudiar várias notícias que não condizem à realidade dos acontecimentos bem como prestar alguns esclarecimentos que vão dá supedâneos a uma notícia mais precisa sobre a decisão do próprio Coronel em APRESENTAR-SE ESPONTANEAMENTE para cumprir a determinação judicial exarada pelo Douto Juiz de Direito Ronaldo Maciel Oliveira, titular da 1ª Vara Criminal da Capital. (Leia-se Termo de Apresentação Espontânea em Anexo)


Neste momento recolhe-se a defesa para produção de pleito de liberdade do referido oficial para tanto deve tomar conhecimento imediato dos fundamentos que deram origem a ordem de prisão preventiva cumprida por espontaneidade do oficial, mas de pronto acredita no Estado Democrático de Direito e nas autoridades constituídas do Estado do Maranhão o qual adotou o mineiro hoje erradicado maranhense Coronel Francalanci, que está convicto que não cometeu qualquer crime durante toda sua vida e não seria agora, beirando seus 30 anos de serviços ao Estado do Maranhão, que o faria. Espera de sua prisão no QCG da PMMA com absoluta serenidade o destino que a Justiça vai dar ao mesmo.

Sabemos, operadores do direito, que uma medida acautelatória estatal tão extrema somente é aceita quando recheada de fundamentação concreta e idônea, quando a regra é a liberdade, o que já é pacífico nos Tribunais locais, Tribunais Superiores e no próprio Pretório Excelso.


São Luís, 04 de março de 2018.


José Rogério Pereira Guimarães de Oliveira
Advogado OAB 14348/MA


Wendel Araújo de Oliveira
Advogado OAB 2766A/DF


Luiz Carlos Prestes de Leon
Advogado OAB 14348/RS


Werberty Araújo de Oliveira
Advogado OAB 12004/PI

0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog