quinta-feira, 20 de abril de 2017


Em pronunciamento feito na sessão desta quarta-feira (19), o deputado Josimar de Maranhãozinho (PR) desmentiu acusações feitas pelo deputado federal Aluísio Mendes de que a prefeita de Zé Doca, Josinha, teria feito demissões de servidores concursados.

“Nós temos uma parceria com mais de 70% dos professores que querem o melhor aos filhos de Zé Doca, porque temos consciência que, através do professor, os nossos filhos conseguem ter uma educação adequada e conseguem ser um profissional de qualidade”, afirmou Josimar de Maranhãozinho, acrescentando que alguns servidores foram demitidos por terem sido admitidos de forma irregular, como é o caso, por exemplo, dos servidores Iorlan de Oliveira Nunes e Sheila de Jesus.

“Se elas são capazes, se elas são boas profissionais, pois participem de um concurso público, participem de um seletivo, mas não dessa forma ilegal, pois isso gera vários crimes. Além dessas pessoas terem sido efetivadas ilegalmente, também estão há quatro anos gozando dos benefícios do plano do magistério da cidade de Zé Doca, recebendo quase um salário mínimo de quinquênio. Então é um absurdo o que estava acontecendo naquela cidade de Zé Doca”, disse o deputado, citando também o nome do servidor Antônio Ibermor, que também recebe quase um salário mínimo de quinquênio.

Desvios

Josimar de Maranhãozinho enfatizou que, durante os quatro anos de mandato da gestão passada, teria havido o desvio de aproximadamente R$ 30 milhões só de pagamentos de triênio, quinquênio, gratificações, portarias indevidas e pessoas que ganhavam do Fundeb.

“Temos aqui um caso que me chama muita atenção: a dona Dagmar Maria de Jesus, ex-mulher do vereador Alcobaça, que sempre residiu em Brasília e, por incrível que pareça, recebe dos cofres públicos, do Fundeb, quase sete mil reais, mas nunca esteve em sala de aula. É esse o crime que o deputado Aluísio Mendes disse que a prefeita Josinha está cometendo. Não há gestão, não há governo se não tiver existir parceria dos gestores comprometidos em pagar e não fraudar da forma que está acontecendo”, garantiu o deputado, citando também o nome do professor Francisco Monteiro de Lima que, segundo afirma, mora em Alcântara, nunca esteve em sala de aula, mas ganha por mês quase R$ 3 mil.

Outra irregularidade citada é o da ex-vice-prefeita Lindalva Serra Barros, que de acordo com Josimar recebia o salário de professora de mais de R$ 3 mil por mês. “Ela poderia até estar em sala de aula, mas ela tinha que optar por um salário. Ela passou os quatro anos recebendo R$ 8 mil como vice-prefeita e mais de R$ 3 mil como professora. Agora, eu pergunto ao deputado Aluísio Mendes, será se V. Exa. tem advogados capacitados para defender esse tipo de fraude?. Isto aqui é só um exemplo, nós temos mais de 300 pessoas e a prefeita Josinha tomou o cuidado de instaurar duas comissões de processos administrativos que estão sendo apurados”.

Economia

O deputado afirmou que as medidas que estão sendo adotadas pela prefeita Josinha fez o município de Zé Doca ter uma economia de R$ 500 mil por mês na folha de pagamento. A merenda escolar declinou de R$ 130 mil por mês para R$ 83 mil. “Em Zé Doca não vai mais existir fraude porque lá tem uma prefeita que está moralizando a cidade, que está moralizando o dinheiro público. A prefeita Josinha está trabalhando”.

“Eu tenho certeza que a justiça será feita nessa questão que V. Ex.ª já apontou e que o povo de Zé Doca vai ter muito a ganhar com a administração que Vossa Excelência e a Excelentíssima prefeita vão imprimir ao município. Desejo sucesso. Independente de questões políticas e eleitorais, eu torço que o Maranhão dê certo”, garantiu o deputado Rogério Cafeteira, em aparte.


0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog