sexta-feira, 6 de julho de 2018


Um grupo de manifestantes formado por professores grevistas da rede municipal de ensino de Grajaú, orientados pelo ex-prefeito Júnior de Sousa Otsuka e com o apoio de pessoas ligadas ao governo comunista de Flávio Dino (PCdoB), tumultuou, a cerimônia organizada pela prefeitura local, no último sábado (30), para entrega de duas ambulâncias e de uma máquina retroescavadeira para uso em obras de infraestrutura no município.

Os revoltosos chegaram a atirar pedras e ovos em direção ao palanque onde estavam as autoridades. O caso foi registrado na polícia.

Pelo menos uma pessoa ligada à comunista Simone Limeira, candidata a prefeita derrotada na eleição de 2016, em Grajaú, e atual assessora da Assembleia Legislativa, foi identificada entre os autores da baderna. Trata-se de Vânia Monteiro, amiga pessoal de Simone, para quem presta serviços de assessoria. Ela foi flagrada pelas lentes de fotógrafo no exato momento em que arremessava um ovo em direção ao palanque, onde, além dos gestores municipais, estavam crianças e idosos.

A pretexto de reivindicar direitos, os baderneiros compareceram ao ato de entrega das benfeitorias e foram rechaçados pelo prefeito Mercial Arruda (MDB), que afirmou que muitos dos grevistas que protestavam nem sequer trabalhavam. A paralisação atinge menos da metade da rede municipal de ensino grajauense.

Para evitar mais prejuízos aos alunos, Mercial ingressou com pedido de liminar na Justiça e o movimento foi considerado ilegal. Amparado pela decisão judicial, o prefeito determinou o corte dos pontos dos docentes faltosos, acirrando ainda mais os ânimos dos grevistas.

Ao assumir pela quarta vez a Prefeitura de Grajaú, em 1º de janeiro de 2017, Mercial Arruda recebeu a rede municipal de ensino quase fechada. Escolas estavam sem funcionar em diversos povoados e nem sequer havia merenda escolar. Logo nos primeiros meses da gestão do emedebista, todas as unidades de ensino retomaram as atividades normais.
Orquestração

Os manifestantes envolvidos no ataque às autoridades agiram a serviço de políticos, inclusive do ex-vereador Clesiomar Viana, ex- assessor do ex-prefeito Otsuka; do atual vereador Marquinho Jorge, e da própria Simone Limeira, filiada ao PCdoB do governador Flávio Dino. Afastada do governo comunista após um rumoroso episódio em que foi acusada de cobrar propina para liberar recursos para a educação em aldeias indígenas da região centro-sul do Maranhão, ela foi acomodada em alto cargo na Assembleia Legislativa, com salário de aproximadamente R$ 20 mil. Todos foram apontados como mentores do movimento.

O ataque aconteceu antes de qualquer reação do prefeito. Além de pedras e ovos, os revoltosos atiraram pedaços de pau no palanque. Também desferiram uma série de agressões verbais. Algumas vítimas classificaram a ação como verdadeira tentativa de homicídio.


As duas ambulâncias e a máquina retroescavadeira entregues elo prefeito Mercial Arruada estão avaliadas em quase R$ 1 milhão. Os veículos representam importante benefício à saúde grajauense. Ao condenar o ataque, o prefeito Mercial Arruda lembrou que o ex-prefeito Otsuka e o vereador Marquinho jorge, secretário municipal de Saúde na gestão passada, deixaram as unidades de saúde abandonadas e o município sem nenhuma ambulância.

Ponto cortado — O corte de ponto dos professores que não estão trabalhando, uma minoria, foi decidido porque a greve foi considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça do Maranhão. O Ministério Público foi informado sobre os investimentos e recursos aplicados na educação de Grajaú; “Todas as tentativas de negociação foram cessadas porque o objetivo é tentar desmoralizar a atual administração”, comentou uma fonte do blog, que preferiu não se identificar.

Aliados lembraram que Mercial Arruda foi secretário de Estado, professor, deputado estadual duas vezes, prefeito pela quarta vez e não tem histórico de truculência. Pelo contrário, sempre foi um homem pacato, respeitado em todo o Maranhão e respeitador. “Os vídeos postados nas redes sociais foram todos editados, não mostram as agressões praticadas contra o prefeito”, explicam aliados do emedebista.

Um grupo de pessoas a serviço de Simone Limeira e Otsuka foi acusado de coordenar reuniões, em casas de políticos de Grajaú, para tramar o protesto e as agressões, o que é confirmado pela fotografia que mostra a amiga da comunista Simone Limeira arremessando um ovo.

Ocorrência policial — Diante de todas as agressões, Mercial Arruda registrou uma ocorrência na Delegacia de Grajaú, denunciando os autores do atentado por desacato e tentativa de homicídio. Um processo administrativo será instaurado na prefeitura para investigar os professores que praticaram os delitos. O prefeito disse não ser contra qualquer tipo de manifestação. “O que não pode aceitar é a violência em praça pública ou em qualquer outro lugar”, condenou.

O secretário de Administração de Grajaú, Ricardo Arruda, recordou que os mesmos manifestantes que agiram na cerimônia de entrega das ambulâncias e da retroescavadeira por Mecial Arruda nunca protestaram na administração passada. “A gestão anterior deixou toda a rede escolar abandonada e não se viu nenhum protesto.Na verdade, são atos políticos, pois a oposição quer desmoralizar uma administração que luta pelo população grajauense”, afirmou.

Do Blog do Daniel Matos

0 comentários:

Postar um comentário

Facebook

Rádio do seu Coração