segunda-feira, 16 de abril de 2018


A grande participação popular foi o que marcou as primeiras semanas das escutas territoriais 2018. Os municípios de Imperatriz, Caxias, Grajaú, Pedreiras, Governador Nunes Freire, Pinheiro, Bacabal, Viana, Itapecuru e Pindaré contaram com muitas participações e debates cheios de argumentos e boas ideias. Em vigor desde 2015, o Orçamento Participativo (OP) tem se apresentado como uma ferramenta importante de atuação popular, que nos permite propor soluções para problemas da nossa região de forma coletiva.

A atividade é promovida pelo Governo do Maranhão, por meio das Secretarias de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e Planejamento e Orçamento (Seplan), e incentiva a população a indicar prioridades para a aplicação dos recursos públicos do Estado nos 15 territórios da cidadania do Maranhão.

Para o secretário de Estados dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, as escutas têm como objetivo democratizar o uso dos recursos públicos do Estado. “A votação do Orçamento Participativo é uma ação de Governo que garante à população o poder de decisão, de acompanhar a gestão e o uso dos recursos públicos e garantir a melhoria e o desenvolvimento solidário, com ações que não privilegiam apenas um grupo de pessoas, mas todas as micro e macrorregiões do Maranhão”, explicou.

Dentre as propostas escolhidas pelos territórios passados ao longo da semana, a população debateu sobre saúde com a solicitação de reestruturação de alguns hospitais existentes e meio ambiente com solicitação de mais fiscalização em matas, rios e lagos. Muitas propostas escolhidas também abrangeram a área de agricultura familiar solicitando mais assistência técnica e extensão rural e ainda incentivo à comercialização de produtos produzidos no Maranhão.

Outro fato marcante foi a presença e participação de jovens como a estudante de Química da UemaSul, Tatiane Nunes Silva. Ela é do município de Davinópolis e participou pela primeira vez das Escutas Territoriais. “Eu achei muito interessante a proposta e decidi participar porque aqui a gente vê que a nossa opinião tem valor. A gente pode participar, a gente pode opinar e ajudar o governo a saber onde a gente quer que o nosso dinheiro seja aplicado”, afirma a estudante.

Assim como pensa Tatiane, muitos jovens colaboraram votando em propostas na área de educação e cultura, defendendo a construção de centros culturais e mais oportunidades de ensino superior e técnico.

Muitos participantes das escutas territoriais deste ano já acompanharam o processo em anos anteriores, como é o caso da Eliete Carneiro dos Santos. Ela é do município de Timon e fez questão de participar da escuta no município de Caxias. Apoiadora do Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), esse evento é fundamental para o desenvolvimento de toda a região. 

“Já participei em outros anos e acho muito importante, não só para Caxias, mas para Timon, Coroatá e todos os demais municípios do nosso território. Essa escuta é de extrema necessidade para todos nós, porque as coisas devem ser de forma ascendente. A comunidade tem que participar, as instituições tem que se fazer presente, que é o momento mais oportuno, trazer suas demandas, suas necessidades, justamente para que seja feita essa escuta de forma bem democrática”, avalia a participante.

As próximas escutas territoriais acontecerão nesta quarta (18) e sexta-feira (20) nos municípios de Chapadinha, Balsas, Barreirinhas e Colinas. A jornada de escutas encerra no próximo dia 27 de abril em São Luís, na Assembleia Legislativa a partir das 7h30. 

A programação completa você encontra no site: www.sedihpop.ma.gov.br ou nas redes sociais: @dhmaranhao no instragram, facebook e twitter.

0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog