quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018



O Governo do Maranhão reforça a importância da vacinação da população da zona rural dos municípios da Grande Ilha contra febre amarela. Mais de 50 localidades rurais de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa serão beneficiadas com ações da Secretaria de Estado da Saúde (SES) nas áreas de imunização, educação em saúde e verificação de epizootia.

Nesta quinta-feira (22), as equipes da Superintendência de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES iniciarão as atividades de imunização em Paço do Lumiar. Os técnicos foram destacados para mobilizar a população de Cumbique, Pau Deitado, Bacuritiu, Pindoba e Mojó, dentre outras, para vacinação contra febre amarela.

“A perspectiva é que estas ações permaneçam pelo tempo que for necessário, com o revezamento das nossas equipes de saúde, até que se resolvam os surtos que ocorrem no país. O Maranhão permanece sem nenhum caso de febre amarela e a gente quer ampliar a cobertura, principalmente nas áreas rurais do interior de São Luís”, ressaltou a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças, Graça Lírio.

Além da vacinação contra febre amarela, serão distribuídas vacinas contra sarampo, caxumba e rubéola (tríplice viral) e a tetra viral (inclui varicela) durante toda a semana, das 7h às 12h. Ainda dentro das ações de combate as arboviroses, está nebulização espacial com carro fumacê em São Luís nos bairros: Conjuntos da Cohab I, II, III e IV, Cohatrac, Forquilha, Itapiracó e Forquilhinha. No município de São José de Ribamar as ações serão realizadas nos bairros: Araçagi I, II, III, Cohatrac V e Taguará. A ação de fumacê foi iniciada no dia 19 de fevereiro na Avenida Jerônimo de Albuquerque, em frente ao antigo Supermercado Bom Preço, no Bairro Cohab III.

Capacitação

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou, na noite desta terça-feira (21), no auditório do Rio Poty Hotel, uma capacitação sobre o ‘Manejo Clínico de Febre Amarela’ para levar aos profissionais da rede pública e privada mais informações sobre as principais características da doença que podem ser confundidas com outras epidemias e os possíveis eventos adversos relacionados a pós-vacinação.

A iniciativa pretende tratar os pacientes com suspeita da doença de forma interdisciplinar, dando atendimento especializado para diagnosticar a doença infecciosa que pode até ser fatal, segundo enfatizou o secretário adjunto da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde da SES, Marcelo Rosa. 

“Não possuímos nenhum caso registrado de febre amarela no Maranhão, mas precisamos estar preparados para qualquer eventualidade. Quando passamos muito tempo sem um registro, a tendência é que estes profissionais não estejam habituados a tratar ou identificar aquele agravo, por isso trouxemos duas infectologistas de renome para capacitar enfermeiros e médicos, principalmente, para manejar esses pacientes caso ocorra algum caso”, afirmou Marcelo Rosa. 

A capacitação enfatizou as dificuldades para a identificação de pacientes com febre amarela, uma vez que os sintomas iniciais da doença são semelhantes aos de outras doenças, como a dengue. Os principais sintomas são febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas.

“É importantíssimo a gente ter como compartilhar o conhecimento de profissionais competentes, experientes no assunto, professores que vivem isso no dia a dia. A capacitação nos faz sentir mais seguros para enfrentar, caso aconteça um caso no estado, visto que há muito tempo não se vê febre amarela no Maranhão”, afirmou a médica Elza Carolina.

0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog