quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

“Era um desespero para conseguir água! Quem não tinha dinheiro pra comprar, tinha que carregar água nas costas ou trazer no carro de mão lá de cima, por que água não chegava até aqui”. Foi o que contou José Sales da Silva, de 65 anos, morador do bairro da Carioca, residente na área há mais de 35 anos. Por meio da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), o Governo do Estado entregou para a comunidade um sistema capaz de abastecer a cidade de maneira satisfatória até o ano de 2045, seguindo os estudos de crescimento previsto conforme projeção técnica.

O Sistema de Abastecimento foi colocado em operação definitiva durante as ações do Dia D Mais IDH, realizado pelo Governo do Estado no último sábado (20), quando o presidente da Caema, Carlos Rogério Araújo, reafirmou em entrega simbólica a importância deste tipo de benefício para a população. 

“Não só aqui em Água Doce, com a entrega deste sistema complementando o que já existia, bem como a entrega de kits sanitários neste município e nos outros 30 com menor IDH, que estão recebendo este tipo de equipamento, são um grande investimento feito pelo Governo do Estado, também em saúde, uma vez que água potável e saneamento básico são primordiais para diminuir os gastos com internações e medicina curativa em hospitais e postos de saúde”, salientou.

O Sistema de Abastecimento de Água em Água Doce recebeu investimentos de R$ 1,7 milhões para sua construção e estruturação de poço perfurado, com cerca de 42 metros de profundidade e vazão de 15.000 litros/hora. Além do poço, foi implantada uma nova rede, expandindo a rede já existente de 7.245 metros para 13.549 metros. A ação também resultou em 892 novas ligações domiciliares beneficiando centenas de famílias com água nas torneiras.

Maria Gorethe dos Santos, 48 anos, moradora da sede, conta que antes contava com um poço no quintal de casa e que utilizava essa água para lavar louças e roupas, tomar banho, mas que não era água tão boa para beber. “Aqui eu tinha um poço dentro de casa pra conseguir lavar roupa e tomar banho. Pra cozinhar e beber, era uma água pouca que vinha dos canos meia noite, passava de três dias sem vir, e agora há um mês que que vem regularmente. Tá dando pra beber, melhorou muito depois que fizeram o poço ai”, contou ela.

Kits Sanitários

Além do Sistema de Abastecimento, famílias de Água Doce receberam os primeiros banheiros concluídos no município pelo Programa Mais IDH. Os banheiros, construídos e certificados pela Caema, são estruturas de alvenaria com caixa d’água, pia, chuveiro, vaso sanitário e revestimento, área de lavanderia com pia lavatório, fossa séptica e sumidouro.

Dentre os moradores que receberam os kits sanitários, Flávio das Neves do Nascimento, 43 anos, é só felicidade com o novo banheiro, e brinca que sua esposa tem mais cuidado com este compartimento da casa do que com os outros, agora. “O banheiro tá aqui limpinho, todo cheiroso. Nunca pensei ter um banheiro desse em casa por falta de condições, até comecei a fazer um mas não tive como levar pra frente. Então, só me resta agora cuidar e agradecer à Caema, ao Governo e a quem mais ajudou a gente a ter esse banheiro bom aqui em casa”, relatou.

Os kits sanitários são equipamentos construídos como parte integrante das ações estratégicas do Plano Mais IDH, visando diminuir o número de banheiros inadequados e que apresentam risco à saúde, proporcionando maior qualidade de vida para a população com o combate a doenças de veiculação hídrica. 

Durante o Dia D Mais IDH, os kits sanitários também foram entregues em outras cidades com menor IDH no estado. Vinte e três kits sanitários foram entregues em Belágua; Santana do Maranhão ganhou 29 unidades e Araioses agora tem 23 banheiros exclusivos que permitirão que famílias tomem banho, escovem os dentes e cumpram várias outras etapas de higiene e necessidades pessoais com dignidade.

Ao todo, os seis mil kits que estão sendo construídos pelo Governo do Estado, através da expertise técnica da Caema, municípios representam um investimento de R$ 60 milhões, com objetivo de diminuir o déficit de banheiros ou sanitários de uso exclusivo nas residências maranhenses e também de mudar a realidade destas localidades a partir dos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), dando melhores condições de vida a essas populações.

Deste total de seis mil kits, 1.000 unidades entraram em construção na primeira, em lotes de 200 kits para cada uma das 18 primeiras cidades elencadas para recebê-los. Até agora já foram concluídos 185 kits, outros 100 estão em finalização e 340 seguem com obras em estado avançado.

0 comentários:

Postar um comentário

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog