sexta-feira, 24 de novembro de 2017

O governador Flávio Dino voltou a utilizar as redes sociais para se manifestar sobre a Operação Pegadores, da Polícia Federal, que investiga possíveis irregularidades ocorridas na saúde do Estado em 2015. Desde que a ação teve início, o Governo tem se mostrado colaborativo para ajudar nas investigações.

O problema é que, levar a crer o governador nas suas declarações, as inconsistências notadas durante a operação podem ter cunho muito mais político do que policial.

“Uma semana e nada da lista dos tais 400 fantasmas na saúde em 2015. E seguem as versões falsas, inventadas, forjadas, manipuladas politicamente pelo grupo Sarney/Murad e asseclas”, detonou Flávio Dino.

Aliados do governo lembram que a operação da Polícia Federal – uma das instituições mais sérias, corretas e respeitadas do país, contra o governo Flávio Dino surgiu exatamente uma semana depois do anúncio do nome de Fernando Segóvia, indicado e afilhado de José Sarney, para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal.

“Querem usar instituições e um império midiático para gerar factoides políticos. Uma vergonhosa perseguição. Mas quem não deve, não teme. É o meu caso”, afirmou Flávio Dino.

O governador se posicionou ainda afirmando que não vai permitir que façam no Maranhão o que fizeram no Brasil, em alusão ao quadrilhão do PMDB, que deu um golpe para tomar o poder e prejudicar o povo brasileiro para satisfazer os seus interesses pessoais.

“Interessante notar que o mesmo agente do caos nacional é o mesmo que conduz essa orquestração vergonhosa no Maranhão: José Sarney. Como sabemos, um exemplo de honestidade e virtudes cívicas. Toda essa orquestração institucional e midiática visa entronizar a “princesa da oligarquia” no Palácio, saudosos que estão dos seus privilégios. Não conseguirão. Ainda há eleições no Brasil e no Maranhão”, finalizou Dino. 

(Blog do John Cutrim)

0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog