terça-feira, 17 de outubro de 2017

Dados coletados na última terça-feira (10), na página da Prefeitura de Pinheiro na internet (Portal da Transparência, seção Folha de Pagamento) apontam a existência de um time de super funcionários na gestão Luciano Genésio, detentores de remunerações que ultrapassam em alguns casos os vencimentos dos secretários municipais.

De um total de quase 670 nomes registrados na Folha de Pagamento referente ao mês de setembro, 168 colaboradores recebem salários acima de R$ 3.500,00. Destes, 36 têm remunerações no patamar de R$ 4.080,00, vencimento básico dos secretários municipais. E 72 deles, seletos ocupantes de cargos comissionados, são donos de super salários que chegam a R$ 9.306,00, contra a média salarial dos chamados “barnabés”, que varia entre R$ 934,00 e R$ 1.640,00.

Analisando-se os dados, observa-se que é nas secretarias de Saúde, de Educação, de Planejamento, Finanças e Tributos, na Contadoria do Município, Procuradoria Jurídica, Controladoria, Chefia de Gabinete e na estrutura de Licitações onde estão alojados a maioria desses casos.

Nas secretarias de Saúde e Educação, estranhamente todos os adjuntos recebem remunerações maiores que seus chefes, os secretários Raimundo Miranda e Augusto Miranda. Constituem exceções a essa distorção, profissionais de saúde e professores em final de carreira, que aparecem na folha com remunerações superiores a R$ 3.500,00.

Super salários – No grupo dos super salários, alguns casos chamam atenção. O primeiro deles vem justamente da família do prefeito Luciano Genésio (PP). Na chefia da Controladoria Geral do Município, está alojada a irmã do gestor, Karla Lucyana Soares Canto Costa, recebendo por mês R$ 9.360,00. Lotado na secretaria de Administração, Planejamento, Tributos e Finanças está Rogério da Silva Canto Costa, marido de Karla Lucyana, recebendo remuneração igual à da mulher, salário esse superior ao do titular da pasta, Magno Luís Mendes (R$ 4.080,00).

Também na folha, a mãe de Luciano, Maria da Graça Silva Soares, contratada da secretaria de Saúde como médica, recebendo R$ 14.223,92. Já do lado de Thaiza Hortegal, esposa do prefeito, a folha traz o pai, Talvane Hortegal recebendo como médico por três fontes da Saúde (Hospital Antenor Abreu, Materno Infantil e PSF), recebendo no mês de setembro quase R$ 149 mil reais. E, ainda, o irmão Kaio Hortegal, médico, recebendo por duas fontes (Antenor Abreu e Materno Infantil). Em setembro, o médico embolsou quase R$ 82 mil reais. Além destes, o primo Rafael Matos Hortegal, que recebeu R$ 49,4 mil. Mas este, conforme indicado na própria folha, foi desligado dos dois contratos, no Antenor Abreu e como médico do PSF, respectivamente em 01/08 e 01/06/17.

Dentre os aliados, destaque para o médico Francisco de Assis Pires de Sarmento, pai do ex-vereador e candidato a prefeito Leonardo Sá (PCdoB), que em setembro embolsou a quantia de R$ 103.948,06.

Caminhão – Dentre os comissionados, chama atenção também o caso de Fernando Pinheiro, conhecido como Caminhão, motorista do prefeito. Pinheiro é lotado na secretaria de Administração, Planejamento, Tributos e Finanças, com uma remuneração de R$ 9.360,00 pouco maior do que, por exemplo, à do Procurador do município, o advogado Tibério Mariano Martins Filho, que a título de remuneração recebe R$ 9.284,49.

Na secretaria onde está alojado o motorista marajá, aliás, todos os comissionados que aparecem na folha recebem remunerações superiores ao teto dos secretários municipais.

Quem também é dono de situação privilegiada é o vice-prefeito Stélio Cordeiro que em setembro embolsou R$ 13.441,07, recebendo como professor, como vice-prefeito e comissionado lotado na Chefia de Gabinete. A remuneração como comissionado, de pouco mais de R$ 8 mil no mês em análise, parece ser decorrente de substituição do prefeito nas ausências recorrentes para descanso. Na cota do vice-prefeito, filha e sobrinha também integram o trem da alegria em que se transformou a Prefeitura de Pinheiro.

A Procuradoria do Município também não escapa. Composta por um time de 21 profissionais dentre indicados de aliados e até parentes de desembargadores, a Procuradoria paga salários de, em média, R$ 4.200,00 (excetuando-se assistentes e pessoal administrativo).

O órgão acolhe ainda o advogado Carlos Renato Almeida Marinho, filho de José Carlos Marinho, ex-secretário de Infraestrutura que recentemente desligou-se da administração por não rezar a cartilha dos Genésios. Amigo de Luciano, Carlos Renato recebeu em setembro R$ 6.273,66, embora esteja impedido de advogar, com o registro suspenso da OAB/MA. Também na folha, a irmã de Carlos Renato, Caroline Almeida Marinho, com remuneração de R$ 6.223,92, contratada como enfermeira.

A folha é também abrigo pessoas como a cunhada do vereador Lucas do Beiradão, Daciane Pereira Fernandes, ironicamente lotada na Secretaria de Transparência para exercício de cargo comissionado com patamar salarial de secretário municipal.

Em tempo: Os dados foram coletados no dia 10/11 no Portal da Transparência. Desde quarta-feira, 11/10, a página foi tirada do ar. No local consta a informação “Em construção”. Entretanto, o Blog já possui toda documentação que foi publicada. O Blog também assegura o espaço à Prefeitura de Pinheiro caso queira se posicionar sobre o assunto, mas lembrando que todas as informações acima divulgadas, foram baseadas em dados divulgados pela própria gestão de Luciano Genésio.

0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

SuperSportingBet

SuperSportingBet

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog