terça-feira, 10 de outubro de 2017


A direção do Sinpol informou que o tiro que matou Gemyson Kleiton foi efetuado de forma acidental pelo acusado.


A direção do Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (Sinpol) afirmou na tarde desta segunda-feira, 9, que o policial civil Júlio César Batista Almeida, idade não revelada, foi solto durante a audiência de custódia, ocorrida no último domingo, no Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau. Ele estava preso desde sábado, 8, após ter assassinado supostamente por engano Gemyson Kleyton Machado Pereira (foto), natural da cidade de Turilândia,de 29 anos, na Praia Grande.

O acusado foi ouvido pelo Poder Judiciário e acabou sendo solto durante a audiência de custódia. Ainda segundo informações do Sinpol, Júlio César teria sido alvo de assaltantes (inicialmente seriam três, mas foram dois no total), saiu em perseguição. Ao chegar às proximidades da Casa do Maranhão, na Praia Grande, começou a desferir disparos e uma das balas acertou acidentalmente a vítima, que não tinha nenhuma relação com o fato.

Após acertar o tiro de forma acidentalmente na vítima, o autor continuou com sua perseguição e somente teria sido avisado da morte de Gemyson Kleyton por amigos do policial civil.

Após acertar o tiro na vítima, o autor continuou com sua perseguição (Foto: Divulgação)

O acusado foi levado para a sede da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção a Pessoas (SHPP), no Centro, onde prestou esclarecimentos ao delegado Estefânio Aragão, e, logo após, conduzido para uma das celas da Delegacia de Polícia Civil da Cidade Operária.











0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

Facebook

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog