sábado, 23 de setembro de 2017


A operação da Polícia Civil deflagrada na última sexta-feira (22) no bairro Miritiua, em São José de Ribamar, ganhou repercussão nacional. Foram apreendidas 3,2 toneladas de maconha com a operação e a Polícia Civil maranhense já ultrapassou mais de 6 toneladas em apreensões apenas neste ano.

Com a ação de sexta, a Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (SENARC), prendeu em flagrante Denílson Castro dos Santos (30), Pablo Hernandes Ferreira (33), Walt Rafael Sousa de Araújo (33) e Rodrigo Alves de Oliveira. 

Para se ter uma ideia do salto nas ações de combate ao narcotráfico no estado, em 2014 foram apreendidos apenas 21 kg de maconha em todo o território maranhense.

O Superintendente Estadual de Combate ao Narcótico, Delegado Carlos Alessandro Rodrigues, explica que a criação da Superintendência foi fundamental para o salto qualitativo no combate ao tráfico de drogas no Maranhão e que a operação de sexta representa apenas mais uma operação de sucesso da Superintendência.

"A Lei 10.238 sancionada pelo governador Flávio Dino em 2015, além da criação das delegacias regionais, são os grandes responsáveis pelo aumento significativo de apreensões de narcótico no estado. A entrada em ação da regional de Imperatriz, por exemplo, é relevante para a ampliação dessas apreensões”, destacou o delegado.

Sobre a operação de sucesso na sexta-feira (22), Carlos Alessandro explicou que a Polícia Civil conseguiu chegar até a quadrilha por meio de denúncias anônimas que relatavam a existência de um grande carregamento de entorpecentes na cidade de São José de Ribamar. A prisão ocorreu no momento em que a droga estaria sendo transportada em uma carreta, com suporte de mais dois veículos.

Os quatro suspeitos foram encaminhados a sede da SENARC, onde foram autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico . Ainda segundo as investigações policiais, a droga, avaliada em mais de R$ 5 milhões, teria vindo do Centro Oeste do País, região de fronteira com outros países da América do Sul.

Denúncia imediata

O superintendente aponta, ainda, a criação do canal de denúncias via whatsapp como uma das ferramentas importantes na contenção do tráfico de drogas. Funcionando no número (98) 9.9163-4899, o novo meio funciona todos os dias, 24 horas e permite à população denunciar de forma anônima. 

“Com essa ferramenta já conseguimos apreender alguns carregamentos de drogas. É um canal que está em pleno funcionamento e que ultrapassou nossas expectativas. Que a população continue colaborando”, concluiu o delegado Carlos Alessandro.

Investimento em estrutura

Desde o mês de junho o trabalho de combate ao tráfico conta com apoio de dois cães treinados especificamente para esta finalidade. “A Polícia Civil do Maranhão é a primeira do Nordeste a contar com esse apoio no combate ao crime de tráfico”, enfatiza Carlos Alessandro. 

Trabalho qualificado

A primeira grande medida da gestão Flávio Dino que contribuiu para o aumento nas apreensões de drogas foi a criação da Senarc, aponta o delegado Carlos Alessandro. O órgão foi instituído pela lei n° 10238 de maio de 2015. 

A superintendência iniciou o funcionamento efetivamente em agosto de 2015, em substituição ao antigo Denarc – Departamento de Narcóticos, e possui abrangência estadual. “A superintendência é um órgão muito maior e temos agora uma estrutura própria que nos permite uma ação mais direcionada e qualificada, com resultado imediato”, diz o delegado.

0 comentários:

Postar um comentário

Nova Rádio Timbira

Facebook

Círio de Godofredo Viana 2017

Círio de Godofredo Viana 2017

A Marca do Sucesso

A Marca do Sucesso

Rádio do seu Coração

Arquivo do blog